quarta-feira, 4 de julho de 2007

O Fabuloso Cinema Nacional

Neste 2007, mesmo se estando apenas no 1° semestre, provou que o cinema nacional já pode ser considerado de tamanha qualidade, digna de filmes americanos ou europeus. E não se fala em qualidade de grandes produções, que escondem má qualidade de roteiro e atuações, por exemplo (igual a filmes como Quarteto Fantástico 2). O cinema brasileiro, apesar de não ter verbas para orçar uma grande produção, vem trazendo cada vez mais brilho e inteligência em seus roteiros, direções e atuações.

É o caso do excelente Não Por Acaso, que além das primorosas atuações, traz uma inteligentíssima história, daquelas que até Freud dúvida.

O intrigante Baixo das Bestas e o bem humorado O Cheiro do Ralo, também são exemplos de qualidade digna daqueles deliciosos filmes franceses.

A pergunta que fica, é por que a demora para se mostrar tanta competência no cinema nacional, sendo que o que dá qualidade a essas atuais produções não são as explosões, os carros de luxo e nem as locações caríssimas, como é nos filmes americanos? A resposta fica no ar... talvez seja pela pequena abertura que havia no passado para os talentos que tentavam de alguma forma mostrar sua capacidade e não podiam, por ser um mercado muito restrito as grandes classes. Realmente é uma interrogação.

Apesar de que no passado também houve filmes grandessíssimos, mas eram coisas raras, visto a quantidade de longas produzidos.

A projeção no exterior, nunca veio com tanta intensidade como atualmente. Apesar de temos filmes como o antigo O Beijo da Mulher-Aranha aclamado internacionalmente, foi o Cidade de Deus que levou o nome do Brasil ao patamar de qualidade reconhecida fora do nosso país. Para quem não sabe, o filme ficou quase dois anos em cartaz nos cinemas de Nova Yorque, além de ser indicado a três Oscars- ofuscados azaradamente pelo filme O Senhor do Anéis. O diretor e roteirista, Fernando Meirelles, é tido como uma das mentes brilhantes no mundo cinematográfico atual.

O que falta ao brasileiro, para ter mais sucesso lá fora, é inteligência na escolha dos filmes enviados para escolha de indicações em grande festivais, como o Oscar ou Cannes, por exemplo. Ano passado, devido ao tamanho da bilheteria arrecada, o enviado ao conselho julgador do Oscar, foi o filme Os Filhos de Francisco. Uma boa produção, mas não digna de ser indicado a um prêmio como o Oscar.

Assim, com filmes como O Céu de Sueli, O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias, Central do Brasil, Anjos do Sol, Antônia, entre os já citados e muitos outros que circulam nos cinemas e locadoras de todo o país, o Brasil fica entre os primeiros dignos de reconhecimento por estar trazendo obras cinematográficas de grande magnitude. Torcer o nariz ao ouvir falar de cinema nacional já não é algo mais a ser feito por nós brasileiros, pois produções que primam por qualidade estão todos os meses nos cinemas e vale a pena conferir.

8 comentários:

slim shady disse...

que isso velho,não precisa agradecer.

e espero ver seu texto ae também.

Sobre post,muito baana da sua parte,fico muito feliz em saber,que existe pessoas assim como eu,que dão valor ao cinema nacional.

ótimo texto,mas você se squeceu,de "meu tio matou um cara" e o "homem que copiava" ambos,um dos melhores na minha opinião,tirando o Cidade Deus,lógico.

enfim,abração !

rosa disse...

O brasileiro tem uma mania de julgar tudo o que é fora melhor, o que é uma pena, mas devagarinho estamos tomando consciência, que o Brasil produz coisas bem melhores que novelas (que nao minha opinião são um lixo). Por exemplo na segunda-feira a plim-plim exibe fimes estrangeiros em horario nobre, e após o Jo filmes nacionais, shows de mpb. Espero que um dia isto seje invertido. Abraços

R Lima disse...

Cinema Nacional tá cada vez melhor... já assitiu O HOMEM DO ANO com Murilo Benício.. show... recomendo!!!!

Rpz tô sentindo falta de vc lá pelo meu blog...



Em tempo, estou divulgando meu blog... Estou numa seqüência de 12 dias e 12 textos até o dia 12/07.. passa por lá.. o AveSSo agradece.


[ http://oavessodavida.blogspot.com/ ]

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Adrian Masella disse...

Brasileiro tem mania de criticar TUDO que é brasileiro!

Acha chique comer em restaurante japonês, fazer beicinho pra pronunciar algo em francês, e afins!

A gente se acostumou muito a ter como bom, tudo aquilo de fora do país!

E a melhora no cinema nacional, vem de tempos, muitos dos filmes dos últimos 6~7 anos são ótimos, e grandes arrecadadores de bilheteria!!

Tá na hora da gente ver o que tem, e parar de se preocupar com o que podemos trazer de fora!!

Rafael Barbosa disse...

O que atrapalha muitas vezes é a invasão gringa. Não sobra sala pra exibições, o que muita vez acontece em salas de cinema tidas como reduto dos "cults", não é de acesso pra todo mundo, assim o "povão" não tem como ter acesso!

Mas concordo, esse ano surpreendeu viu!

abraço!

Dragus disse...

O problema do cinema nacional, ainda, é a dependência que se cria em torno do padrão globo de qualidade.

Se não forem produções com atores globais, dificilmente sai do papel ou mesmo consegue patrocínio.

L.S. Reis disse...

Putz, incrível você ter falado sobre o valor do cinema nacional, estava escrevendo sobre isso esses dias mas ainda não postei!! ^^
Antigamente tinha aquele preconceito bobo (que muita gente ainda tem) com os filmes brasileiros, mas fui me apaixonando a partir de Abril Despedaçado e Lisbela e o Prisioneiro, rs.
Os filmes daqui são de uma criatividade incrível mesmo, está ficando claro que os enlatados made in Hollywood tem mais efeitos especiais do que história ou atuação de fato.
Ótimo post! Ainda termino minha resenha sobre isso =P
abraço!

H. Junior disse...

O que falta ao brasileiro, para ter mais sucesso lá fora, é inteligência na escolha dos filmes enviados para escolha de indicações em grande festivais

concordo plenamente com vc

outro filme bom q saiu ano passado foi ...se eu fosse vc

abraço