domingo, 18 de fevereiro de 2007

O Diabo Veste Prada (The Devil Wears Prada, 2006)

Atualmente, no meio cinematográfico, ao se ver que um filme é denominado como Comédia, muitos “torcem o nariz”, pois infelizmente, é um gênero que tem sido muito avacalhado nos últimos tempos, com produções tão ruins que chegam a dar pena. Entretanto, O Diabo Veste Prada, apesar de ser um filme cômico, é uma excelente pedida para a família. Com excelentes atuações, bom roteiro e uma trilha sonora bem competente, o filme se tornou um dos melhores projetos lançados em 2006.

[SINOPSE] O filme "O Diabo Veste Prada" mostra os bastidores de uma importante revista de moda. Estrelado por Meryl Streep ("Angels in America") e Anne Hathaway ("Brokeback Mountain", "Garotas sem Rumo" e "Diário da Princesa 2"), o filme é uma adaptação do best seller homônimo, escrito por Lauren Weisberger. Em "O Diabo Veste Prada", Andrea (Anne Hathaway) consegue seu primeiro emprego na mais importante revista de moda de New York, a Runway Magazine. Andrea terá o desafio de ser assistente da toda poderosa Miranda Priestly (Meryl Streep). Apesar de ser uma oportunidade pela qual um milhão de jovens mulheres em Nova York chegariam a matar para conseguir, ela vai descobrir que não será fácil sobreviver a ela. A modelo brasileira Gisele Bündchen faz uma pequena participação em "O Diabo Veste Prada" como uma empresária do mundo da moda. Essa é a segunda incursão de Gisele nos cinemas. Em 2004, a top interpretou a vilã Vanessa da comédia Táxi. A personagem de Meryl Streep é inspirada na famosa editora da revista Vogue americana, Anna Wintour. Laura Weisberger, autora do livro "O Diabo Veste Prada", trabalhou como assistente de Anna na publicação. Quando soube que seria produzido um filme sobre o livro, Anna Wintour começou uma campanha para abafar a produção. De acordo com a revista americana Radar, ela pediu que nenhum estilista participasse do longa. A editora teria dado a entender que eles entrariam na "geladeira" de sua revista.

O filme tem um roteiro bem simples, que não trará nada de novo ao telespectador. Mas, a forma como o diretor, David Frankel, conduz as cenas e os personagens é incrível. O ponto baixo do filme se dá nos clichês que o envolvem, mas não se engane, pois o filme é tão bem trabalhado e tão envolvente, que os clichês não estragam a produção.

O figurino é absurdamente belo –bom, o filme é sobre o mundo da moda, era o mínimo não?-, Com Diors para um lado, Calvin Kleins para outro, o filme traz os principais desejos consumistas femininos, e conta até com a presença do famoso estilista Valentino. A trilha sonora também é excelente. Com músicas que vão das mais contemporâneas aos grandes clássicos, cada som se adaptando bem ao tipo de cena para qual foi designado.

Mas, o extremo do filme são as atuações. Com incríveis e peculiares trejeitos nervosos, e mudanças faciais que chegam a meter medo, a sempre estupenda Meryl Streep (13 indicações ao Oscar, dois vencidos), é um dos pontos altos, não apenas no filme, mas no ano do cinema mundial. No papel da poderosa e intocável Miranda Priestly, Streep brilha em todas as cenas, e mostra que não apenas é uma excelente atriz dramática, acertando em cheio nesta comédia. Com a indicação para o Oscar 2007 de melhor atriz, Meryl não perde para nenhuma indicada, (aliás, a categoria de melhor atriz esta disputadíssima, com mais-do que-ótimas atuações, como a de Penélope Cruz (Volver) e Helen Mirren (A Rainha)).

A jovem Anne Hathaway, se torna muito competente no papel de Andréa. Com um carisma cativante, e um belo rosto, a atriz cumpre direito o papel, cometendo poucos deslizes. Aliás, Hathaway já me chamou a atenção não apenas por este trabalho. A atriz tem em seu currículo ótimas atuações, como no premiado Brokeback Mountain, além do Garotas sem Rumo, que conseguiu preencher muito bem o papel que a designaram, em um filme forte e que exigia muito talento dramático. Emily Blunt também faz um trabalho competentíssimo, no papel da secretária Emmily. Eu já havia percebido o quão talentosa ela era, no filme ao qual contracena com a super Susan Saradon, Identidade Roubada. O elenco masculino não brilha tanto quanto o feminino, mas também salva ótimas atuações, como é o caso do ilário Stanley Tucci. O filme ainda conta com a presença da nossa linda topmodel, Gisele Bündchen, que tem um papel absurdamente pequeno, por isso dispensa críticas.

Em sumo é isso. O filme já esta disponível em dvd, com excelente extras. É um daqueles filmes que vocês desejarão ter em casa. Irônico, trágico, inteligente, engraçado e muito envovente: O Diabo Veste Prada.

NOTA: 9.0

2 comentários:

Hudson disse...

Alguns filmes cometem erros e até caem em lugar comum, mas é impossível ficar alheio ao universo de "O Diabo Veste Prada". Filme do coração.

Parabéns pelo texto, está ótimo! Abraços!

Anônimo disse...

assisti o filme e adorei
gostei mesmo