quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007

Agora é oficial: Chris Cornell dá adeus ao Audioslave !

O ex-vocalista do Soundgarden e agora ex-vocalista do Audioslave, Chris Cornell, anunciou hoje (15/02/2007) a sua saída da banda. Em declaração oficial, Cornell disse: "Devido a conflitos de personalidade insolucionáveis, assim como diferenças musicais, estou permanentemente saindo da banda Audioslave. Desejo aos outros três membros simplesmente o melhor em todos os seus futuros empreendimentos."

Os alardes sobre o fim da banda começaram após o lançamento do 3º e último disco, intitulado “Revelations”. A apresentação da volta do Rage Agaisnt the Machine no festival Coachella em abril e o lançamento do cd solo do Chris Cornell – intitulado "Carry On"-, para maio, tornaram-se quase evidentes os rumores do fim dessa, que sem dúvida alguma, foi uma das maiores e melhores bandas de rock dos últimos tempos.

.Audioslave.

O Audioslave foi formado após junção do ex-vocalista do Soundgarden (eleito um dos 10 melhores vocais da história do rock), Chris Cornell, com os ex-integrantes do Rage Agaisnt the Machine: Tom Morello (guitarra), Brad Wilk (bateria) e Tim Commerford (baixo). O cd de estréia da banda (Audioslave), além de ganhar diversos prêmios, vendeu milhões de cópias e teve hits fortes como Cochise, Like a Stone e Show me How to Live. Este álbum é o melhor da banda, e um dos melhores que já ouvi. Após tamanho sucesso com o álbum de estréia, a banda lança o “Out of Exile”, que foi aclamado pela crítica especializada, mesmo não contendo a mesma explosão do álbum anterior. Com pegadas mais leves, vocal mais trabalhado e toques de R&B e Blues, destacam-se Out of Exile, The Worm e a belíssima 1# Zero. Em 2006, a banda resolveu lançar o Revelations, que são nada mais, nada menos do que as músicas que ficaram de fora do Out of Exile, e que por incrível que pareça, sã melhores do que as escolhidas para o segundo álbum. Destaque para a contagiante Original Fire, One and the Same e a politizada Wide Awake.

Em 2005, a banda entrou para a história como a primeira banda de rock americana a se apresentar em Cuba, façanha essa passada aos fans por meio do dvd Live in Cuba.

Com o fim da banda, o cenário musical perde uma junção que foi mais do que maravilhosa. Ouvir a bela voz de Chris Cornell, com os inteligentíssimos riffs de guitarra de Tom Morello, eram fascinantes. Realmente é lamentável. Agora é aguardar. Que venha o próximo solo de Chris Cornell. Que venham o Rage Against the Machine (de novo). E ficamos a espreita, para que pelo menos um dos dois trabalhos dos ex-Audioslave venham ao Brasil, para tentar amenizar o baque que foi o fim da banda.

3 comentários:

Fernando Teixeira disse...

É, la se vai uma das melhores bandas da atualidade...mas vejo isso por um lado positivo, após o primeiro cd da banda as musicas do audioslave vinham cada vez mais conduzindo por uma veia mais Pop que o normal, o que ao meu ver vinha prejudicando o som da banda!
Agora sim, existem grandes chances do rage Against the machine voltar. Adoro o som da banda, mas nos quisitos sonoros, pois sou totalmente contra a ideologia esquerdista adotada pela banda. Pois falam coisas muito bonitas, mas todos sabemos o dinheiro que rola por tras desses empreendimentos. O fato é que a provavel volta do rage se deve a uma proposta milionaria. Mas certamente isso vai ser mascarado, e a volta vai ter como principal motivo a atual situação mundial, com um movimento de esquerda na america latina e o governo de Bush nos EUA. Serão esses os alvos da critica da banda. Mas nao podemos esquecer que a banda vai ser mais um artigo capitalista, assim como a faosa foto de "Che" em camisetas, vai ser mais um desses artigos de consumo...girando milhoes e mais milhoes de dólares no mundo inteiro. Viva a sonoridade do Rage,mas abaixo a ideologia e as letras, que falam coisas muito emocionantes, mas nada de concreto!

Diego Moretto disse...

Bom, com o fim do Audioslave, é inegavel que o cenário musical atual perde um grande fator. Ao contrário do q vc disse cara, não acho q a nova vertente da banda estava prejudicando-os. Claro, não fizeram nada tão forte e estrondoso como foi o álbum Audioslave, mas com o lançamento do Revelations, ficou claro q a banda estava seguindo uma identidade nova, e q eu particularmente estava gostando. Com o fim, espero realmente q a banda acabe e que o resto dos integrantes não procurem outro vocal pro Audio, pois o que dava um tom maior a banda, era simplesmente a bela voz de Cornell com a eloquente guitarra de Morello. Assim, apesar de não os curtir muito, torço para a volta do Rage. Sem dúvida alguma, depois de tantas milionárias propostas, a banda voltou visionando lucro e não com a arte esquerdista que elevou-os ao sucesso. Bom, se cumprirem o prometido e sacudir a política americana com novas letras idealistas, o Rage pode voltar a ser uma das principais preocupações do governo americano.É aguardar pra ver. Novas vertentes socialistas estão por vir. Uma nova legiãos de fans ardorosos q se tornarão socialistas sem ao menos saber o q significa tal denominação, tambem esta por vir. Veremos se realmente irão sacudir o mundo, como declarou o guitarrista Tom Morello.

Saulo disse...

legal teu blogger cara, tbm sou do ES, depois da uma olhada la no meu.
abração