sábado, 24 de outubro de 2009

Publicidade doentia

Foi noticiado recentemente que o problemático ex-polegar Rafael Ilha fora internado após tentar se matar com um pedaço de caco de vidro. Pelo visto, a reação de cidadãos normais com o acontecido foi a mesma: indiferença. Há coisas na mídia que de tão repetidas passam batidas, mesmo que o fato seja grave.

Várias “celebridades”, nacionais e internacionais, usam das tragédias para se auto-promoverem. Este efeito “tragédia = glamour” já começa a atingir mentes pequenas de cidadãos comuns. Na última semana o mundo parou com a história de um balão caseiro desgovernado que tinha dentro uma criança, que ao desamarrar o balão feito pelos pais acabou por ficar preso dentro dele. A notícia correu países e as buscas pelo menino acabaram por se tornar parte de uma conflituosa e agoniante trama, recheada de suspense e que no final pareceu (e foi) brincadeira, já que o moleque estava no sótão da casa, “escondido”. As aspas são justificadas pelo caso: a família do menino armou a história para atrair atenção da mídia para assim poder divulgar alguns negócios.

Na verdade, este tipo de história vende muito. O povo parece gostar de um barraco ou uma tragédia. Voltando as “celebridades”, muitas conseguem conquistar a fama novamente depois de tantas mazelas pessoais, aproveitando da perda de memória recente das pessoas. Grande exemplo disso é a cantora norte-americana Britney Spears, que depois de muito causar escândalos, lançou dois álbuns de sucesso e na semana passada obteve – novamente em menos de um ano – o primeiro lugar das músicas mais tocadas do site da Billboard com seu novo single “3”. Outras passam perto do ostracismo mas conseguem se manter, como a atriz Vera Fisher e a cantora Whitney Houston.

Entretanto há outros que ainda utilizam da polêmica para conseguir um minuto da atenção da mídia. Rafael Ilha é um grande exemplo disso. Um fracassado pelas drogas que já recebeu inúmeras ajudas, mas nunca teve uma verdadeira vontade própria para se auto-ajudar. O lamentável caso desta última semana só prova que o rapaz está cavando o fundo do poço em que ele se meteu novamente, mas mesmo assim ainda cava com câmeras filmando seu show pessoal e com uma gigantesca platéia para assistir ao espetáculo.

Dica do Post:

Por falar na dita-cuja, realmente “3”, da cantora Britney Spears, possui uma batida muito boa e o sucesso deve ser grandioso nas boates de todo o mundo. Assim como a eloqüente “Celebration” da matriarca do pop Madonna. A já citada Whitney Houston nos presenteia com “Million Dollar Bill”, uma dançante nostalgia à época da brilhantina Motown, mas com toques bem modernos. O grupo 3OH!3 se une a Katy Perry e juntos lançam o batidão “Starstrukk”, que promete incendiar pistas de dança com sua euforia. Para finalizar, procurem algum remix do novo sucesso da Rihanna, “Russian Roulette”, e se divirtam. Esses são os possíveis últimos maiores sucessos do pop neste ano. Aproveitem!

5 comentários:

Vladir Duarte disse...

Cara, no caso do Rafael Pilha (lembra que ele já tentou se matar comendo pilhas?), acho que o pior problema que tem não é o vício em drogas, mas sua personalidade. O cara é meio marrento, meio marginalzinho... E, depois, ainda virou evengélico. Tem jeito de espertalhão, de dono do mundo... e, na verdade, é só mais um fudido.

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

... ...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazon
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesia ...


AFECTUOSAMENTE
DIEGO MORETTO




jose
ramon...

Arthurius Maximus disse...

O problema do cara é a extrema vontade de aparecer. Quem quer se matar dá um tiro no queixo e resolve logo o problema, não fica fazendo circo com seus problemas.

O problema é que muitos programas de televisão vivem disso e essas "personalidades" aproveitam para aparecer a todo custo.

Larissa Bohnenberger disse...

Chega a ser tedioso ouvir e ler sempre as mesmas pessoas fazendo os mesmos tipos de absurdos, tentando chamar a atenção popular pelos mesmos motivos de sempre. Chega uma hora que até o povão dá de ombros.
Bjs!

Nanna Bezerra disse...

realmente, ninguem aguenta mais esse tipo de notícia. E sabe o q acontece? A gente vai ficando cada vez mais insensível aos problemas alheios!
Chega de barbárie e sensacionalismo!
Vamos dar conta de um mundo melhor?
Eis a questão.
beijão!

http://meninabezerra.blogspot.com/