segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Construindo uma embalagem

“Nenhum país tem tanta certeza do seu futuro quanto o nosso”, afirmou o presidente Lula durante cerimônia da disputa pela vaga da sede das Olimpíadas de 2016, em Copenhague. O presidente, talvez, nunca disse tamanha verdade.

Com o país sediando eventos como a Copa do Mundo de Futebol em 2014 e as Olimpíadas em 2016, o sentimento que deveria ser de euforia se perde em uma preocupação vigente com os problemas sociais brasileiros, já que ficará a dúvida: será que o dinheiro gasto com as obras para receber estes eventos será paliativo com as necessidades carentes do povo? É difícil acreditar que o país esteja preparado para isso, já que estamos por cima de uma crise que nunca acaba. Neste ano, escândalos no Congresso Nacional e atentados à Legislação brasileira foram recorrentes e explícitos. O PIB não consegue mais atingir o patamar dos primeiros anos do governo Lula e o IDH do país não é dos melhores. Promessas e mais promessas tornam este um país do futuro, mas todos nós sabemos que nunca foram muito de cumprir. Será gasto uma quantidade exorbitante com esses dois eventos e os problemas que realmente tornam este um país subdesenvolvido continuarão a existir, e o que é pior, com um provável crescimento.

Dinheiro para fazer esta quermesse esportiva foi logo sendo divulgada para todos os cantos, como se não fosse problema para o país. Enquanto isso, muitas famílias nordestinas ainda vivem mensalmente com 70 reais mensais, além de outras milhares no sul desabrigadas e sem dinheiro por causa de tragédias com que nada têm culpa.

Talvez esta seja uma visão muito descrente e que não possua nada de similar no futuro do Brasil, e a torcida para que isso seja verdade é grande. No entanto, não é improvável que aconteça. Ao invés de vivermos de aparências e mostrar ao mundo um país que não existe, porque não começar desde já a construir uma nação de qualidade social para que realmente sejamos creditados a país muito bem desenvolvido? Recursos temos espalhados por aqui, o que falta é um maior comprometimento com as causas sociais e uma maior responsabilidade com as finanças do país. Enquanto a corrupção continuar consumindo as entrelinhas brasileiras, viveremos dentro de uma caixa suja e estragada de papelão, envolta por um belo e limpo papel de presentes.

Dica do Post:

Foi divulgada hoje pelo site oficial do cantor a música que seria o próximo single do imortal Michael Jackson. “This is it” é uma habilidosa balada que traz Jackson em uma fabulosa e nostálgica performance. É incrível que o timbre inconfundível e a qualidade marcante ainda estejam lá, com isso, a tristeza em saber que a volta triunfal não vai mais acontecer se torna momentânea. Nos cinemas, o documentário de mesmo nome da canção estreará em breve em sessões curtas e especiais, não percam!

4 comentários:

Larissa Bohnenberger disse...

Pois é!
Se conseguíssemos melhorar a relidade do nosso país, não presisaríamos fantasiá-lo para que tivesse algum apreço.
Bjs!

Danilo Moreira disse...

Eu particularmente fiquei feliz com essa escolha de sediar as olimpiadas em 2016, mesmo com os problemas que nós temos. Mesmo eles pintando um pais que no fim das contas não existe (afinal, propaganda é a alma do negócio), acredito que com as obras de melhorias algo pelo menos melhore em termos de estrutura. É complicado ver tanto dinheiro sendo usado num evento mundial que já deveria ter sido usado há anos para melhorar a saúde, educação, etc, mas já que infelizmente as coias só funcionam assim, vamos ver no que vai dar, pelo menos irá gerar mtos empregos e movimentar a economia do pais, e quem sabe, nos livrar de alguns estereotipos...

Abçs!!! Gostei do novo layout.

Olá Bruno, mto bom o seu texto! Bem um desabafo num tom de voz como se estivesse sobre alucinação (e convenhamos, de vez em quando é bom nos alucinarmos dentro de algum universo para fugir um pouco da dura realidade que nos cerca.

Abçs!!!!

http://blogpontotres.blogspot.com/

atualizado!!!!

[ rod ] ® disse...

ops... voltastes com a corda toda meu caro. parabéns pelo retorno e obrigado pelas palavras... ouvi-las mesmo que as lendo são de uma alegria só.

quanto ao rio... nosso rio... nosso, talvez, brasil... fica a esperança que esta festa não seja um mar de improbidades administrativas... coisa certa neste país não sério...

abs meu caro.

Arthurius Maximus disse...

Basta ver o que aconteceu no PAN. Obras superfaturadas e algumas com mais de 300% de acréscimo. Epidemia de dengue porque a cidade faliu depois e por aí vai...

O pior mesmo é ver um monte de gente rindoa toa por aí, e nme são empreiteiros.