quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Demagogias brasileiras

A operação de guerra presenciada em Senador Camará, na Zona Oeste do Rio, na manhã de ontem, foi um cruel retrato da onipotência dos policias cariocas diante a bandidagem no Rio de Janeiro. Com cenas semelhantes às vistas em filmes hollywoodianos de guerra, com helicópteros e muitos tiros, apesar dos 300 policiais em ação, houve um sangrento massacre com direito a um policial e um garoto de quatro anos mortos à tiros. Lógico que isso não é uma dura crítica ao trabalho da policia, que conseguiu aprender um grande números de armas e drogas além de aumentar a população no complexo presidiário brasileiro, mas o susto de ver uma cena daquelas, nos faz pensar ainda mais a que ponto chegamos.

Não querendo me restringir apenas a falar do Rio (estados do Norte e Nordeste – por exemplo-, também contém índices preocupantes de violência), mas já me restringindo, a situação presenciada chega a ser superior do que seria considerada caótica. E o mais triste é que não vemos reações de protestos vindas de parte alguma. Na verdade, é o contrário. Àqueles que acompanharam o ótimo Tropa de Elite no cinema, se deram conta da alegria das pessoas que assistiam ao filme nas cenas de violência? Claro, não foi o cinema em peso, mas em certas partes violentas do longa, reações de espanto ou de indignação, deram lugares a fortes gargalhadas ou expressões cômicas. Realmente é o cúmulo. Muitos não acreditam, mas aquele é um retrato fiel (e mais leve, diga-se de passagem) da realidade dos morros cariocas. É triste ver como alguns não dão a mínima para o que acontece de ruim em nosso país.


Voltando ao massacre de ontem, o que será que acontecerá com a família pobre daquele garoto de 4 anos morto? Será que receberão uma ajuda do governo, para suprir algumas despesas – caso tenha sido um policial o assassino culposo-, ou caso tenha sido um dos traficantes o atirador, vai ficar tudo por isso mesmo? É estranho perguntar essas coisas, já que sabemos as respostas, mas depois do que aconteceu ao apresentador Luciano Huck e depois do alarde que se formou por ter acontecido aquilo à ele, é revoltante deixar passar tudo em silêncio. Aos que não sabem, Huck teve seu relógio Rolex roubado por dois homens armados há algumas semanas. O apresentador disse em um artigo, que sentiu muito medo na hora do assalto e ficou revoltadíssimo por ter acontecido à ele, um pai de família. Um dos trechos do artigo dizia: “Como cidadão paulistano, fico revoltado. Juro que pago todos os meus impostos, uma fortuna. E, como resultado, depois do cafezinho, em vez de balas de caramelo, quase recebo balas de chumbo na testa”, afirmou. Me desculpem, mas sou obrigado a rir disso. Lamento profundamente que isso aconteça TODO DIA em nosso país, mas o caso foi levado à uma altíssima sindicância, tendo já – rapidamente-, dois suspeitos detidos. A revista Época de semana passada, trouxe Huck na capa e com a manchete: “Ele Merecia?”. Bom, claro que a resposta é não, mas não é ele em especial. O João ou a Maria que trabalham 16 horas por dia e ganham 2 salários mínimos por mês também não merecem ser assaltados, e são. Até você que lê este artigo, quantas vezes foi ou teve algum amigo que sofreu um assalto? E por isso foram capa de revistas, ou tiveram seus casos apurados com rapidez? Sem dúvida que não. Bem provável que o apresentador usou de boas intenções ao escrever o artigo, ao levar o caso à imprensa e coisas assim. Mas o que se formou, foi mais um retrato fatídico do Brasil, em que segurança e prestamento de ajuda policial, é reservada apenas a um punhado da população, que vivem uma vida bem diferente da maioria dos brasileiros.


Em um ano em que a Policia Militar e Federal, fazem um belíssimo trabalho de buscas e apreensões – principalmente em bandidos de colarinho branco-, somos surpreendidos (ou não) com acontecimentos que nos fazem perder a esperança em nosso país. Quando será que vão colocar mais policiais nas ruas deste país? Quando aumentarão as condições para que a Policia possa competir com os traficantes? Ou melhor, quando tudo isso irá melhorar? Me perdoem, mas não tenho as respostas.


OBS: Leiam os comentários no artigo do Huck....

17 comentários:

Cah disse...

Verdade, eles adulam demais quem não presta,
e quem merece algo de bom acaba esquecido...

Por muito pouco eu não usei essa imagem do seu texto no meu post ontem
:)

GG disse...

caro Diego.
Não perdi a esperança porque nunca a tive!!!
No Rio está ruim, no Nordeste está ruim, o Brasil está ruim.
A grande parte da nossa excelente classe média está vacinada contra violência.
è ruim, é.
Mas é a realidade.
Não concordo que o Huck mereça risadas. Não é esse tipo de reação que é tanto cobrada por nós? A reação da indignação?
É o que acontece quando alguém tenta se indignar no Brasil. É alvo de risadas e piadas.
Abraços...

César Fernández disse...

Revoltante, isso que é...

Muito bom post!

young vapire luke lestat news disse...

Ninguém percebeu, mas o carioca, esta dentro de uma guerrilha urbana já faz tempo.Tem 4 anos que sai dai e Já estava caótico.
Imagino agora...
Enquanto os bandidos estiverem trabalhado para lavar o dinheiro dos políticos e empresários desonestos, a lei proteger o bandido e punido o cidadão nada mudará !!!!


[]s L.Sakssida

Danilo Moreira disse...

Cara, me recordo com uns 6 anos de idade (1990/91), vendo no Jornal Nacional noticias de tiroteio no Rio, do mesmo jeito q hj.

Vou ser sincero, chocar sempre choca, mas o q me assusta mesmo é saber que entra ano, sai ano, e isso sempre acontece, nunca muda.

Cara, consciente como vc é, te convido a ler uma antiga postagem minha, publicada originalmente num antigo blog meu, mas q fiz questao de traze-la para o atual.

Só nao se espante com as manchetes q vc ira ler lá, parecem inventadas, mas são reais. Foram retiradas de noticiários na net.

O resto, vou te deixar na curiosidade...rs

Abraços!!!!!

http://emlinhas.blogspot.com/2007/06/violncia-no-brasil-e-da.html

Wagner "BaHiA" disse...

Incrivel!!
foi o que pensei quando vi a cena dos dois malucos saltitando no meio do mato, e os tiros ricochetiando nas paredes e em todo o lugar. Parecia cena de filme cara!
E a respeito do artigo do Huck, eu queria saber porque quando a violência ocorre com os da classe alta (juizes, advogados, artistas, politicos e por ai vai...) tudo se resolve assim, em um picar de olhos? Porque não, um tratamento igual para os "outros"? que preconceito é esse? Se isso mudasse um pouco talvez já ajudaria! Precisamos também de policiais que gostem de vestir a camiseta pela policia. Tinham que ser todos "Policias Tropa de Elite"
abraço,
tolokoentao.blogspot.com

O ANTAGONISTA disse...

Cara, sinceramente não fiquei nem um pouco chocado com a cena em questão (dos marginais sendo perseguidos pelo helicóptero da polícia). Acho que a ação policial tem que ser dura do jeito que foi. Lembram o que fizeram com o Tim Lopes? Esquartejaram o cara vivo e depois queimaram os pedaços do corpo... A sociedade precisa reagir, e não vai ser pedindo por favor que esses caras vão parar de barbarizar... Estamos em guerra!!!

EDUARDO GOMES disse...

Eu percebi que durante o fime Tropa de Elite, grande parte daqueles que assistiam ao filme davam gargalhadas e vibravam com cenas de tortura, o que me deixou um pouco contrangido.

Por outro lado, é preciso que a sociedade reaja. E ao que parece, é apenas a polícia que sobe o morro.

Gostaria de saber se a família do menino ou do policial receberam alguma visita do pessoal dos direitos humanos.

Agora, o cara que depois do café gosta de bala de caramelo...

Imaginou se ele fosse morto?

vlw.

Bernardo Lima disse...

A violência chega a indices revoltantes realmente...
o nosso querido rio de janeiro já não mais tem cara de cidade maravilhosa...
infelizmente não podemos depender nem de burgueses que só criticam e mt menos dos governantes...
as vzs me sinto até impotente...
abraço

Osmar Portilho disse...

e aí cara...gosto pra caralho do lynch, mas neste filme realmente ele pirou, acho que se preocupou demais com técnica e sensações...mas assista...vale a pena...

Osmar Portilho disse...

quanto ao seu post...de fato...a violência tem chegado a pontos lamentáveis...assim como a atitude de huck..

Boris disse...

triste demais esse nosso país! Aonde vamos parar?!

Danilo Moreira disse...

Blz? Pois eh brother, aquele tema já era uma coisa q eu precisava publicar há tempos, principalmente para aquelas meninas que vivem falando demais...rs

Dom no fantastico é q eu consegui assisitr essa reportagem q vc falou. Parece mesmo cena de filme. Dá pena daquele pessoal correndo com criança e tudo, ou, confesso q tenho medo, daquele moquele q nao tem nada a ver, as vezes ta chegando da escola e os cara já metem bala e ainda fala q era traficante.

Abraços!!!

Queria te convidar a conhecer um blog novo de uma amiga minha, e que promete...

FLOR DE LOTUS
http://ressurgircomolotus.blogspot.com/

-Reserva- disse...

um assunto polêmico, revoltante e que deve ser tratado com todo o cuidado. A imprensa influencia, e inflama notícias desse tipo, nós deixamos a emoção transparecer e não levamos alguns pontos em considerações na hora de levantar uma tese, a polícia, por vezes é tida como heróica, por outras como a vilã, o fato do gurizinhode 4 anos, é sim lamentável, não vou expor minha opinião...mas o texto é bacana. Abraços

Foi bom prá mim! disse...

eu tenho certeza que as reações do público em algumas cenas do Tropa de Elite, são de pessoas que sabem diferenciar o que é ficção do que não é.

Diego Moretto disse...

Ótimos comentários. Bom, vamos aos esclarecimentos: As risadas não eram referentes ao apresentador Huck, que como eu disse no post, não deve ter tido a intenção ruim, pelo contrario. As risadas ditas por mim, foram referentes as diferençs de classes e tratamento diferenciado dadas as pessoas com maior situação financeira. Isso é trsite demais, é o que aconteceu no caso Huck foi puramente isso.
Outra coisa q achei estranha, foi dizerem que o motivo das risadas na cenas violentas de Tropa "vinham de pessoas que sabiam diferenciar ficção de realidade"....vamos com calma. Nada mostrado em Tropa é ficcional. Na verdade, como eu tbm disse, é mais leve doq realmente acontece. E se aquilo, por ser mostrado em um filme merece gargalhadas, bom, Parabéns! Mas como alguem que sabe q aquilo acontece a rodo, prefiro ficar com o sentimento q o filme quer passar, o de perplexão.

Bom, fora isso, acho q passei o recado. Muito orbigado a TODOS pelos comentários. Voltem sempre, abs!

Adriano (nano) disse...

Ora essa meu caro.
Hoje no Brasil estamos confundindo quem são vilões e quem são os mocinhos. Missa de sétimo dia p/ vagabundo, direitos humanos, misericórdia com pistoleiros, traficantes e estrupadores, não é isso q creio q irá recuperar esses bandidos, q são a escória do mundo. Revolta na favela, protesto por morte de traficantes, isso é o Brasil, e não se esqueça desses vagabundos de terno e gravata. Abaixo aos homens q comandam essa baderna chamada Brasil.Ah, sem me esquecer do Luciano, burguês, tire ao mesnos rolex p/ sair na rua da próxima vez, e quanto ao impostos, pague mesmo, pois é sua obrigação e lembre-se q vc tem dois testículos, igual a maioria dos homens dessa zona de país. Vc não é o único q não merece.

Adriano (nano)