terça-feira, 21 de agosto de 2007

As Flores do terror

O blog DM traz dois posts hoje, devido um duplo motivo: Além de estar comemorando o 100º post com a crítica abaixo, o blog necessitava de uma publicação. Espero que gostem de ambos. Abraços!


Em plena era do egocentrismo, do capitalismo exaltado e do egoísmo como característica marcada da sociedade moderna, é de se estranhar algumas bonitas atitudes diante uma tragédia. Pega-se o exemplo do terrível terremoto que matou centenas de pessoas no Peru, ocorrido ainda neste mês. A mistura do terror que foi o desastre junto à precariedade do país causou um alarde em todo o mundo, que começou a fazer uma mobilização em cada parte do planeta. Doações vieram de diversos lugares: desde os vizinhos como Brasil e Bolívia até de paises europeus. Além é claro da ajuda da ONU, que neste quesito, sempre é um grande propulsor em tarefas humanitárias.

A tragédia no Peru, falando-se na solidariedade, se assemelha muito à ocorrida em 2005 na Ásia: o temido Tsunami. Foram belas as ações, que iam de escolas de ensino fundamental à megas doações de celebridades e governos. Cada um, em todo mundo, doava como podia. A solidariedade veio em conjunto.

Outro tipo de boa ação, e talvez até um pouco mais importante, é quando o que vale é apenas o bom coração de cada um, como aconteceu no desastre da cidade americana de New Orleans. O susto que foi ver a nação mais poderosa do mundo tão frágil quanto qualquer outra, deu um ímpeto de força maior para a civilização, de uma forma a se unir. Usei-a como exemplo por causa da vergonhosa indiferença do governo americano com o tamanho da tragédia. Das duas uma: ou o presidente não sabia o que fazer e realmente ficou acuado com um desastre tão grande, ou houve um caso de inépcia e ignorância - o que se tratando de George W. Bush é o mais provável. Assim, já que a população havia sido “esnobada” pelo governo, o que restou foi a mobilização de quem estava prestando atenção do horror que estava New Orleans. Mais uma vez, a ajuda de artistas da música e do cinema e de vários outros do ramo, foram essenciais para a reconstrução da cidade. Parte do mérito também vai para o prefeito de New Orleans, que conseguiu ultrapassar a barreira do desespero e, na medida do possível (verbas) ajudar à sua cidade.

Aqui no Brasil (país ao qual sempre fica à frente dessas ajudas humanitárias), os acidentes da Gol e da TAM não trouxeram doações de todo mundo, mas causaram um sentimento de união por parte do povo brasileiro, que fizeram passeatas e protestos em revolta ao descaso das autoridades diante soluções do problema.

Talvez seja até triste falar disso, já que pelo visto tem-se de acontecer um triste acidente, ou um desastre, para que a civilização se una em prol da ajuda humanitária. O que anda acontecendo de grave no mundo, como a fome e as doenças, são problemas que se tivessem um olhar maior da população seriam de proporções menores. Infelizmente são poucas pessoas e instituições que se preocupam com a desnutrição da Etiópia ou a marginalização nas favelas brasileiras, por exemplo. Assim fica no ar a questão do porquê de esperar acontecer algo tão triste e ruim para fazermos algo pelo outro. Deixo no blog o parabéns há algumas escolas públicas daqui de Vitória/ES pela iniciativa das doações que serão enviadas às vítimas no Peru.

14 comentários:

Rafael Filho disse...

Bom texto, uma vergonha o governo do Bush desprezar essas pesoas que necessitam tanto de seu governo...mas é sempre assim o povo nunca é retribuido pelos impostos que pagam..

Fábio C. Martins disse...

Posso estar errado, mas acredito que essa a resposta para a sua pergunta seja simples e rápida - A Mídia.

Ninguém me tira da cabeça que ela é o primeiro poder neste país, nada de legislativo, executivo ou judiciário. Esses são poderes marginais que vão de encontro à Mídia.

Normalmente, as pessoas acreditam mais em uma novela do que no próprio STF. A credibilidade dos três poderes que regem esta nação está abalada, e com isso, tudo pode dar errado. Como vemos todos os dias quando andamos pelas ruas ou até os noticiários sobre as "desgraças" do terceiro mundo.

Sim, é vergonhoso acreditar mais em uma ficção do que em algo objetivo e garantido ao povo pela sua carta magna - "Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição".

Abraços

BurnedBullet disse...

e a imagem de Jesus
sempre fica inteira

Shaka disse...

Bela mensagem. Infelizmente creio que para ocorrer a união de uma civilização deve haver algo que realmente impacte toda ela. Fatos isolados nunca fazem com que venhamos a sentir na pele o peso de uma tragédia. A humalidade caminha a passos largos para a alto-destruição, espero que acorde a tempo de poder dar as mãos e lutar pelas próprias vidas. Tudo de bom. Abraço.

http://sky-shaka.blogspot.com/

Mau disse...

Muito verdade cara,
o mundo, a cada vez mais egoísta.

tati disse...

Sinceramente acho que tudo já virou um grande circo... a gente reclama do nosso país (e com propriedade!), mas somos "café pequeno" quando olhamos pra cima e damos de cara com Mr. Bush. Um país que tem esse sujeito como presidente, e o Exterminador do Futuro como governador, nos faz impotentes demais para querer um dia chegar no "primeiro mundo". O Clodovil já está em Brasilía. Será que falta alguma coisa?

Camila disse...

Toda vez que vejo o mundo se mobilizando por uma causa, eu me sinto bem. Penso que, apesar de todos os que esperam de braços cruzados, existem aqueles que fazem sua parte. E quanto mais pessoas fizerem sua parte, mesmo que pequena, nós teremos um bem maior. ^^ Ótimo texto!

João Antônio disse...

Eu acho que temos uma parcela nisso também, porque somos [nós] que colocamos essas pessoas lá no poder.

Parabéns pelo blog, tenha um tempão que não aparecia por aqui

Abraço

Antonoly Maia disse...

Muito bom seu blog amigo, continue assim, parabéns!

Fábio C. Martins disse...

Diego, só estou passando pra te informar que indiquei teu blog para o Prêmio 5 estrelas.

Abraços e boa sorte.

Jeff McFly disse...

Olá, grande Diego!

Cara, desculpa a demora. Eu irei responder sim ao seu meme (assim como outros dois que estão pendentes) Tarda, mas num falha.

Ah.. o criança esperaça lembrei de vc, porcausa de um post que vc citou a musiquinha do Teletom, dizendo que era o criança esperança. Aquilo me associou o cado do daniel (cantor), que disse no criança esperança, que estava feliz em articipar do Teleton...

kkkkkk

Quanto ao post, o q tem o grande e amáve Bush? Ele é o máximo, oras...

Tem um produto que acho, vai te interessar lá no blog, Dá uma passadinha lá. Hasta!

L.S. Reis disse...

Olá Diego!
Gostaria de pedir desculpas por não comentar aqui a tanto tempo. Você nem acredita como vim parar no seu blog hoje... Estava assistindo "A revolução não será televisionada" e o dvd deu pau faltando 5 minutos pra terminar. Aí vim pesquisar (google, rs) sobre Hugo Chávez pra me informar melhor como tinha se desenrolado a história. Eis como caí no seu blog! Num post antiiigo, rs. Mó legal quando essas coisas acontecem!

As pessoas realmente ficam esperando grandes tragédias para agir. Já estamos acostumados com a miséria na África e a situação das favelas... É lamentável, mas é verdade. Já percebeu que quando fala no jornal: "30 pessoas morreram em um atentado no Iraque" ninguém mais dá bola nenhuma? "Ah, isso acontece todo dia lá..." Triste esse conformismo, esse achar que é "natural".

Tirei o atraso e aproveitei pra ler os posts antigos; gostei muito do "O novo preconceito". O caso das cotas nos coloca pra pensar mesmo...

Abraços! :)

Jeff McFly disse...

Meme respondido! Saca Lá!

R Lima disse...

O AveSSo agradece pelas palavras e compactua com sua indicação... este blog aqui foi um dos primeiros que conheci e é o que me traz luz a alguns pensamentos...



Mas agora o AveSSo convida a redescobrir Vicente Celestino... "A Voz Orgulho do Brasil"

Passa lá,

[ http://oavessodavida.blogspot.com/ ]

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...