sexta-feira, 13 de abril de 2007

Happy Feet: O Pingüim

Quem pensava que os grandes lançamentos que entraram em cartaz no final de 2006 e agora chega às locadoras do país se restringia a apenas longas de suspense, ação e aventura, ficou completamente enganado. Happy Feet, uma animação dos estúdios da Warner, se torna não apenas uma das melhores pedidas de diversão atualmente, como uma produção que desbanca outros elogiados neste blog – como a comédia, “O Diabo Veste Prada”-, pelo conjunto da obra. O filme, ganhador do Oscar de Melhor Animação, faz jus ao prêmio.

[SINOPSE] Na história, somos apresentados ao jovem pingüim Mano e a sua vida, desde o relacionamento de seus pais, seu nascimento e tudo mais. A trama conta que todo e qualquer pingüim deve ter uma “canção do coração”, adquirindo assim respeito e também a possibilidade de conquistar uma fêmea. No entanto, Mano é o único que não possui a habilidade do canto e, sim, a do sapateado. O tal acontecimento assusta a todos e traz muitas dificuldades para a vida do pequeno pingüim, que precisa aprender a lidar com este problema ao longo de seu crescimento. Assim, já crescido, Mano acaba se afastando do seu bando e de seu grande amor Glória para posteriormente se deparar com um novo bando de pingüins. Logo uma forte amizade nasce, fortalecida pela admiração dos novos amigos pelos passos de dança do antes “rejeitado” pingüim. No entanto, Mano ainda luta para retornar as suas origens e, ao lado de seus amigos, busca responder a todas as questões mal resolvidas pela sociedade dos pingüins com o intuito de mostrar que não era o culpado pela escassez de alimentos para o seu bando.

Como se percebe, a história tem um fundo tocante, que não passa nem por clichê e muito menos por pieguice. Aliás, este é um ponto forte do diretor George Miller, que já havia feito algo semelhante em Babe, o porquinho atrapalhado. O desprezo que o pingüim Mano sofre, é terrivelmente doído, até mesmo aos mais durões.

O ótimo roteiro consegue flutuar por sentimentos que já se encontravam escassos nas animações atualmente, salvos exceções. Os roteiristas, foram capazes de variar no decorrer do filme emoções que iam da mais profunda tristeza ao mais alto padrão de alegria. Como o filme funciona como um musical, é contagiante os números de canto dos pinguins e os de sapateado do Mano.

A dublagem do filme está perfeita – como já é de praxe em super produções de animação. Daniel de Oliveira dá vida à Mano de uma forma bem feliz, assim como Sidney Magal, na voz do engraçado guru Amoroso. Um pecado foi tentarem quase boiocotar a cantoria do começo do longa com uma dublagem infeliz, mas foram poucos minutos, e ainda bem, não fizeram isso no decorrer do filme.

Por falar nisso, um dos pontos altos do longa é sem dúvida a trilha sonora. Com apresentações marcantes de pingüins interpretadas por músicas de bandas e artistas como Queen, Prince, Frank Sinatra, Steve Wonder, Beach Boys e até Elvis Presley, que dão um toque todo charmoso ao filme. Sem esquecer de Robbie Willians, que empresta sua voz em uma versão pra lá de inusitada da música “My Way”, cantada em espanhol.

Assim, Happy Feet se destaca por não ser indicado à apenas crianças, e sim à família inteira. Assuntos como discriminação, humilhação, e até a preocupação com o Meio Ambiente são bem expostos no decorrer do longa. Não se assuste se durante o filme seus pés começarem a bater, seu coração sofrer um doído aperto, suas mãos se contagiarem ou você se obrigar a parar o filme pois estava rindo muito. Happy Feet faz isso conosco. Uma dica é ver todos os extras que o dvd possui, pois são fantásticos. Há, e não esqueçam de que logo no menu do dvd, Mano já começa mostrando para que veio ao mundo, já arrancando o seu primeiro – de muitos-, risos. Divirtam-se com uma excelente produção, indicada não à você somente, mas à toda sua família.

NOTA: 9.5

12 comentários:

Pk Ninguém disse...

Esse tipo de filme não faz o meu gênero.

Dorian disse...

Parabéns pela crítica. Bem elaborada, bem comentada. Dá até vontade de assistir (e vou fazê-lo).

coisasqueeuvivendo disse...

Informativo, estiloso e criativo.
Blog muito bom Vou voltar.

Jeff McFly disse...

Rapaz.. geralmente dublagen em animações são boas. Muito boas. Valeu, boy!!!

Marcelo Soares disse...

Nossa, hauhauahuahau!!

Eu tambem sou chegado nesses filmes não, mas, muitos gostam!

http://kalanguiano.blogspot.com/

Elzinha disse...

não vi, mas deu uma vontade enorme de ver.

=]

Rafael Barbosa disse...

Esse é com certeza um dos melhores filmes que eu vi esse ano. Sem dúvida. Ri demais com ele. Dá muita lição, e emociona mesmo!
Que o grande Guin esteja com vc!
hahaha
abraço!

Polly disse...

Eu não tenho paciência para animações, mas veria esta só pelas músicas!!

willsrockers disse...

Esse filme é super legal
Muito bom as montagem
hauuhahua
só com milagre digital pra fazer isso das mão daqueles é super bem arranjado
hauuhh

falow

Diego Moretto disse...

Sem dúvida, este é um filme que recomendo. Não sei se é possível não gostar de filmes assim, mas pelo visto a pessoas que dizem não ter coragem de assistir. Respeito, mas deixo no ar a dic. O filme realmente é sensacional, fui ate obrigado a comprar o dvd, hehehehe. Bom, é isso. Obrigado a quem comentou. Abs!!!!!!

Giza disse...

Vamos dizer o seguinte, o filme é muito bom, uso a filha como desculpa para ver os filmes infantil, porem tenho varios que gosto e acabo comprando para ver sempre e esse é um que ja assisti mais ou menos oito vezes.
Sobre seu blog gostei muito dele, parabens.... voltarei mais vezes se assim for autorizada,,,,,,,

Inté

willian disse...

legal cara, vo t q ver esse filme