segunda-feira, 11 de agosto de 2008

A Irritante Generalização das Profissões


É zapeando dentre a programação televisiva, que encontramos pérolas como o programa SuperPop. O programa é bem popularzão mesmo, mas me interessei estes dias por uma discussão quente que houve por lá:

No caso, atrizes pornôs se diziam inconformadas pelo fato de as discriminarem por não serem propriamente atrizes. E era revolta mesmo, pois elas batiam o pé defendo que o que elas faziam era tão profissional quanto a atuação de uma atriz de teatro ou de novela.

Convenhamos que não é de forma alguma. A profissão de atriz (ou ator) é de uma seriedade absurda, precisando sim de preparação, árduo trabalho e um profissionalismo que exige eficácia sublime, caso contrário é marcado ao precipício e o esquecimento. Sinceramente não vejo um trabalho pornô como uma profissão, no sentido literal da palavra. Sei que há um imenso dinheiro envolvido, que não é um trabalho fácil e nem sempre é prazeroso, mas partir daí e criticar quem não aceita que sua profissão (com carteira de profissional vigente por lei) seja rebaixada a tal ato, é pretensão demais.

A mesma coisa acontece com as modelos, que são obrigadas a serem comparadas com as pseudocelebridades, que por não ter talento artístico vigente e apenas um rosto bonito, são taxadas de ‘modelos’. É triste, mas é a realidade. E também há setores fora da mídia que generalizam muito certas profissões. A exemplo de guardas, doutores (os que realmente podem usar este pré-nome) e várias outras.

No caso apresentado no Superpop, há até processo envolvido. O assunto é sério, não é nada absurdo, mas irrita, principalmente quem é da profissão. Todo tipo de generalização é ruim, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Não baguncemos, por favor.

Dica do Post:

Foi lançado pela primeira vez em dvd um longa que considero uma obra-prima do drama-moderno. Interpretado divinamente pela bela Angelina Jolia, "Gia" narra a ascensão e queda de uma das principais modelos da década de 80. Gia Marie Carangi foi uma das mais requisitadas modelos da época, sendo constantemente capa da Vogue Paris/EUA além de trabalhar com competentes estilistas como Dior e Versace. O filme conta de forma dramatica o declínio de uma promissora carreira, devido o vício com substancias como a heroína e a cocaína. Gia, além de ter sido a modelo mais bem paga do mundo na década de 80, também foi a primeira mulher famosa a morrer vítima do HIV. O filme é maravilhoso, corram e aluguem!

Nota: 9,5

7 comentários:

Dorian disse...

De uns tempos pra cá começou uma inundação de novelas devido ao grande retorno comercial que dão para as emissoras. Esse fenômeno fez com que atores e atrizes de primeiro escalão fossem aos poucos sendo substituidos por rostinhos bonitos em produções caça-níqueis. Modelos e toda sorte de pseudo-celebridade começaram a fazer participações em novelas.

Para o inverso acontecer como no caso da atriz Leila Lopes que já fez papéis em novelas da TV Globo e agora é atriz pornô, era apenas uma questão de tempo. O dinheiro fala mais alto do que a necessidade de manter a reputação.

O ANTAGONISTA disse...

Pois é... nesse mundo de politicamente corretos, tudo agora virou "aceitável"... há uma relativização absurda em todas as áreas. O resultado é esse: um bando de vagabundas querendo ser chamadas de atrizes! É brincadeira...

Valeu.

Danilo Moreira disse...

Faço parte de um publico que viu o Superpop nascendo nas mãos de Adriane Galisteu em 15 de novembro de 1999, onde o que existia era apenas um programa que falava de musica e com um excelente entretenimento.

Vendo hoje no que ele se transformou, fico triste em saber que mais uma vez a gana por audiencia superou a qualidade e a noção do que é logico e do que é ridiculo.

Se não fosse por isso, até pensaria nessa questão do respeito a atrizes porno (eu pelo menos as considero atrizes sim, mas atrizes PORNO, pq elas tem que "interpretar" certas cenas de prazer e cada posiçao é cuidadosamente calculada, o que exige um certo "profissionalismo do ato"), mas ir a um programa de TV escancarar e se comparar a atrizes de novela, pra mim, nao é mesmo pra se levar a sério. São meninas querendo se aparecer.

Não sei se me expressei bem, é q as vezes pareço liberal demais, mas de qq forma, desculpe se falei alguma besteira...rs

Abçs!!!!!

Diego Moretto disse...

Pois é rapazes, chega a ser engraçado. A bagunça fez com que alguns assumissem coisas que não são, o que causou revoltas e processos chatos. Mas como vcs tbm disseram, temos uma parcela de culpa enorme nessa história. A mídia é influente e muitas vezes seguimos-a sem ver as consequencias. Fico triste que atrizes de calibre como Leila Lopes tenha se prestado a tal papel em sua carreira. Acho bem dificil ela voltar ao seu prestígio como atriz, mas nada é impossível não é?

OBS: A Leila Lopes como atriz pornô decepciona....rs.

Arthurius Maximus disse...

Isso se deve pelo simples fato do Brasil ter-se transformado no país da bunda. O Talento ficou em segundo plano.

Diego Moretto disse...

Pior q desde q me tenho por gente, o Brasil sempre foi o país da bunda.. isso é q é o pior. ¬¬
Vlw bro!

Anônimo disse...

Gostei muito do seu blog, muito bom mesmo, parabéns pela imensa criatividade. mágico Richard – mágico, para eventos, mágico para festas, mágico para feiras, mágico para convenções – mágico-mágicos