quinta-feira, 27 de março de 2008

A grave doença chamada Saúde Pública Brasileira.

O ano de 2007 colocou em foco a má administração presente no setor da saúde no Brasil. Manchetes mostravam o mau atendimento nos hospitais capixabas, a péssima infra-estrutura nos centros médicos fluminenses, além de outras situações que começavam a surgir de forma surpresa (ou não) em vários cantos de nosso país.

No segundo semestre do mesmo ano, fomos surpreendidos com vários casos de Febre Amarela, de um tipo diferente e que estava matando rapidamente. A mobilização foi grande e falha, mas deu pra controlar e até o final de dezembro não houve mais do que 13 mortes. E não pense que a doença já foi banida não, porque ainda há casos surgindo.

Lembro-me das incansáveis tentativas do Ministro da Saúde, José Gomes Temporão, de tranqüilizar a população, com dizeres de que não havia hipótese de uma epidemia. Ele falava e mais uma pessoa morria, era algo, assim, catastrófico.

Agora a concentração está em cima dos diversos casos de dengue no estado do Rio de Janeiro. Novamente há o tranqüilizante de que não há motivo para alarde, pois não haverá uma epidemia. Mas infelizmente todos os dias novos casos da doença estão surgindo e a saúde pública de estados - como o do Rio de Janeiro - não está preparada para a grande demanda de casos com a doença.

Decerto que no período – comparado a 2007 -, o índice de casos é menor, mas não é baixo. Segundo relatos oficiais do governo, foram investidos 685 milhões de reais no combate a dengue e mesmo com tamanho capital investido, são dezenas de milhares de infectados. O que acontece? Incabível dizer. Mas há algo errado. As denúncias das más condições nos hospitais cariocas, pelo visto, não tiveram baque algum sobre o governo do estado. As más condições, o superlotamento e a falta de obras ainda são características destes ambientes. Pessoas morrem sem atendimento, não há vagas, falta remédios, falta profissionais, falta instrumentos... e o povo, como que fica na história? Tendo doenças graves para se preocupar e poucos recursos para pagar um hospital decente e comprar remédios sem ter perigo de serem barrados pela falta dos mesmos.

A saúde e a educação neste país precisam urgentemente serem observadas e trabalhadas. É preocupante a calamidade que tudo se transformou.e a passividade com que todos recebem isso. Aqui no Brasil tudo funciona a base de um grande motivo. Estão esperando acontecer uma grande tragédia para que a imprensa internacional caia em peso em cima, para que assim se comesse a fazer algo. A OMS já colocou dados alarmantes sobre a Febre Amarela e sobre a situação da Dengue no país. Já divulgou também que o Brasil não está preparado para receber uma epidemia, seja qual for o tipo. Enquanto isso estão de braços cruzados e dizendo ao povo brasileiro que investiram milhões aqui e ali e que não precisamos ficar preocupados. Francamente.

9 comentários:

Danilo Moreira disse...

Blz Diegão, com prazer sou o primeiro a comentar o seu brilhante texto.

Não adianta, por mais que a coisa esteja preta, uma autoridade jamais ira adimitir que esta tudo fora de controle, talvez por etica, talvez por orgulho, talvez por vergonha de assumir a sua incopetencia.

Quanto a dengue, realmente concordo com essa falta de estrutura, porem acho q nesse caso a populaçao também tem que colaborar evitando que esses mosquitos se procriem. Nós sabemos q muitas pessoas apenas cobram as lições dos outros, mas nao olham para as suas próprias lições de casa.

Abçs!!!

----------------------------------
http://emlinhas.blogspot.com/

EM LINHAS...
Quando as palavras se tornam o nosso mais precioso divã.

Novo texto: Amizade, E Uma Pequena Pílula Travada
----------------------------------

O ANTAGONISTA disse...

Não há epidemia numa cidade que registra uma média de 1500 novos casos de uma mesma doença a cada dia? Então, qual é o nome disso?
Entretanto, além da incompetência e descaso das esferas públicas, há também outro fator, na minha opinião: a falta de cuidado da população. O resultado ta aí... essa incrível história de terror onde pessoas, numa metrópole, morrem por conta de uma doença transmitida por um mosquito em pleno século XXI. E agora, quem poderá nos salvar?

Rob Gordon disse...

(para variar), seu texto foi brilhante. Concordo com tudo.

E o antagonista disse uma verdade: morrer por causa de um mosquito no século 21 beira a sacanagem.

Fábio C. Martins disse...

Complicado é apelido. Brasileiro tá preocupado em ficar rico do dia pra noite, ninguém quer um país melhor, todos querem que os problemas sumam de uma hora pra outra.

A saúde e a educação são dois fatores determinantes de um país, principalmente aos olhos do mundo. Corrupção é bobagem, pois em qualquer canto deste planeta ela está presente, porém, em alguns cantos específicos, a saúde e a educação são de primeira linha, ou pelo menos, são cuidados com muita atenção.

Mas a pergunta é....
O que fazer perante esse caos?
Votar em alguém? Se é que esse alguém exista...
Sair pelas ruas e gritar, fazer uma revolução?

Não vejo que seja a melhor solução.
A grande sacada é investir na educação, pois dentro em breve teremos pessoas com caráter para governar, porém, se os de hoje nada fizerem... pronto estamos f.......

O Brasil parece um adolescente com suas crises emocionais.

Abraços

Larissa Bohnenberger disse...

Nem me fala!
Quem trabalha no Sistema Único de Saúde tem uma boa visão dessa calamidade toda que você acabou de citar. No hospital onde eu trabalho está tendo uma epidemia de um microorganismo pan resistente que está contaminando duas pessoas por dia no hospital. A higiene e a consciência são mínimas! Quer dizer, o paciente vai em uma emergência para fazer uma pequena cantoplastia e morre de infecção hospitalar!
Vergonhoso!

Bjs!

Henrique Fogli disse...

Basta fazer igual ao César Maia... usar roupa comprida no verão carioca... você viu essa dele?

Arthurius Maximus disse...

No Brasil, não se pensa em saúde preventiva. Afinal, isso não dá votos. quem "apaga o incêndio" ganha muito mais em popularidade e em exposição na mídia, do que quem não deixa o "circo" pegar fogo.

E assim, nosso povo iludido e que acha saúde e atendimento médico como "favores" que os políticos fazem por serem bons, fica aí se lamentando enquanto morre nas filas e se afoga na burocracia.

Diego Moretto disse...

"morrer por causa de um mosquito no século 21 beira a sacanagem." [2]

Isso diz tudo. Neste caso da dengue é uma culpa conjunta: população e governo. Mas chega a ser incrédulo, a capacidade dos politicos de proferirem investimentos e não vemos nada. O pior é sermos obrigados a escutar dizeres ignorantes de alguns - como Cézar Maia-, politicos a toda hora. É o fim.

Muito obrigado pessoal. Voltem sempre!
:)

Fábio Cassimiro disse...

Parabens pelo blog

Caro blogueiro amigo, eu gostei do seu blog e acho que tem tudo a ver com o meu ( www.bahcaroco.blogspot.com ), sera que agente nao poderia fazer uma troca de links?

Eu coloco o seu link no meu blog e vice-versa

meu e-mail/MSN: fabio-cassimiro@hotmail.com

Um grande abraco