quinta-feira, 28 de junho de 2007

Crueldade tem idade?





















Há pouco tempo, quando o ponto de discussão foi a tragédia com o menino João Hélio – em que um menor é apontado como um dos mentores do crime-, a polêmica sobre o caso da diminuição da maioridade penal de 18 para 16 anos deu muito o que falar à todos nós brasileiros. Aqui no blog mesmo já houve um duro debate sobre se devia ou não diminuir a penalidade. Na época do caso do João Hélio, o ponto de vista era de que uma diminuição da penalidade seria um tiro no pé, pois resolveria um problema de consternação social mas tornaria o assunto “presídio” um inferno. Mas este tipo de ponto de vista pode mudar, principalmente depois deste último final de semana (mesmo que principal caso não tenha menores envolvidos).

Madrugada de sábado, 23 de junho, a doméstica Sirlei Dias Carvalho Pinto, de 32 anos, foi brutalmente espancada por 6 jovens enquanto esperava um ônibus. Sirlei havia sido confundida com uma garota de programa (o que não justifica em nada o ocorrido. E se ela fosse mesmo uma prostituta, mudaria algo?), e por isso recebeu chutes e socos, além de ter a bolsa e um celular roubados. O detalhe, é que os jovens são universitários de classe média – nenhum com menos de 18 anos-, e já se encontram presos, com seus devidos e caros advogados a disposição.

A pergunta que fica é a de que, por quanto tempo estes jovens ficarão presos? Pedidos e mais pedidos de absolvição por parte de seus pais já foram deferidos à justiça. Segundo o pai de um dos agressores (que, aliás, ameaçam Sirlei pela denúncia), manter o filho preso é desnecessário, pois o “susto” já valeu de lição e ele (o filho) estuda e trabalha. Hehehe, perdão, mas imaginem se fosse uma inversão de classes, ou seja, se os agressores fossem filhos de domésticas como Sirlei e a agredida fosse uma moradora de um dos prédios luxuosos na Barra da Tijuca-onde os acusados residem. Teríamos no mínimo uma prisão bem longa para os miseráveis detidos.

O caso se assemelha muito com aquele ocorrido em 1997 em Brasília, quando cinco jovens filhos de juízes atearam fogo em um índio pataxó, que dormia em um ponto de ônibus. Aos que não sabem, alguns desses jovens (não sei se todos), exerceram a profissão dos pais e hoje, trabalham, inclusive na área tributária. Ou seja, justiça pro brejo, o que não é muito raro se tratando de quem tem dinheiro neste país, concordam?

O caso de violência entre/cometidas por jovens vem aumentando cada vez mais neste país. Principalmente nas escolas. O que tem de recentes notícias sobre aluno batendo em professor é de assustar qualquer um.

Não tem como saber qual solução de curto prazo tomar, e nem se há solução assim. Educação em casa é o primordial. O que em boa parte não tem. Os pais, preocupados com o bem estar dos filhos, deixam por conta de boas escolas, o que não resolve os problemas de moral e educação interior- ou princípios-, que cada pessoa deve aprender com sua família. E no caso de jovens de periferia, que são rodeados pela violência, a base da educação é na escola. O investimento em psicólogos e pedagogos nas escolas públicas, é uma boa alternativa para tentar colocar um pouco de disciplina nos alunos.

O primeiro parágrafo trata da diminuição da maioridade penal, mas será justificável prender um jovem que já convive com a violência desde seu nascimento sem tentar ao menos trata-lo? O parâmetro de discussão destes jovens violentos, ricos ou não, deveria ser estudado com cuidado e ser julgado por casos, e não por um todo. As vezes, o que a massa pensa ser uma solução, é apenas o início de um problema bem maior. Um dos principais erros dos brasileiros é querer tudo resolvido o mais depressa o possível, sem ao menos ter um profundo estudo de caso. Sirlei, João Hélio, entre outras vítimas, são apenas algumas (das muitas) pessoas que buscam soluções mascaradas por um problema bem maior, e que quando caem a máscara, se torna tarde demais.

25 comentários:

Bruno R.Ramos disse...

Caraca,meu!
Qualidade total...
Ótimo design e, francamente, conscientizador. Espero que sua carreira jornalística decole de vez.
Pelo menos por aqui vale a imparcialidade e o bom gosto temático. Parabéns!

Adrian Masella disse...

Cara, infelizmente no Brasil ainda é aquela velha história de "Quem tem dinheiro pro melhor advogado, não vai preso!!!"
E como você disse, te garanto que se a situação fosse contrária, jovens de classe baixa atacando alguém de classe alta, com certeza eles estariam na prisão sem chance de nada!!!

Maaaass, a justiça trata aqueles de renda baixa não como pessoas! portanto não "vale a pena" deixar jovens "de boa familia, educados e etc" presos!!

O susto já deu: DESDE QUANDO???


Justiça no Brasil tem um sinônimo lindo: Absurdo!!!

EDUARDO GOMES disse...

deve existir apenas um parametro neste assunto. a vida é muinto simples, só tem dois lados. o certo e o errado. quem quiser o errado que aguente as consequencias.

MaxReinert disse...

Rapaz.. que legal seu blog!
É bom ver que ainda gente que "pensa" no Brasil!!!]
Parabéns....
Ainda vou pensar um pouco mais pra dar uma opinião sobre essas loucuras que cada vez mais acontecem no Brasil!
[]'s

Rafael Barbosa disse...

Vale aquela máxima, adaptada:

"Dinheiro traz impunidade"

abraço!

Thaty disse...

Infelizmente ainda vamos ver mto sobre isso...
Ainda por cima ouvir o q eles disseram: A gente bateu pq a gente pensava que era uma prostituta...
E aê? Não entendi!! Em prostituta pode bater????

Mr. Rickes disse...

E falam dos favelados.
Tem muito boyzinho que não vale o que come.
O negocio e valorizarmos e respeitarmos as pessoas + humildes.
Em casos onde o crime é barbaro, penso que poderia ser julgado como se já fosse maior de 18 anos.
Parabéns pelo blog

Jess disse...

Não é a primeira vez que eu falo. Murphy se mudou para o Brasil de vez. Quer povinho mais azarado? O negócio agora é não sair mais de casa, porque a gente pode ser incendiado/espancado/confundido com uma prostituta/assaltado/humilhado.
Só mesmo o brasileiro para aturar o Brasil. =T

Ótimo post, ótimo blog. Parabéns.

Abraço.

Arthurius Maximus disse...

Acho correto a diminuição da maioridade penal. Na realidade, acho que nem deveria haver idade mínima. Uma comissão de psicólogos e psiquiatras deveria analisar o menor e opinar quanto ao seu entendimento.
No caso dos jovens, todo o peso da lei deve ser aplicado. Até porque, sabemos que nossas leis nem são tão pesadas assim. porém, como disse um dos pais: "Isso aqui é mais eficaz do que qualquer castigo".

MaxReinert disse...

Rapaz... visitei o blog que vc indicou.
Realmente, embora o tema seja outro, tem semelhanças no estilo!
Brigadão pela dica!!!
[]'s

Dragus disse...

Nunca deixo de dizer que é culpa da mídia que diz que "bater não educa" e outras sandices, e transforma uma simples palmada em objeto de tortura.

Desde que a mídia e pessoas que fazem faculdade de psicologia/similares passaram a meter o bedelho na criação dos filhos dos outros, o mundo foi piorando. É paralelo.

Quanto mais campanhas contra a palmada, mais a violência e a falta de limites dos jovens aumenta. Pois se não apanham em casa pra obter limites, vão pra rua apanhar.

Melhor então que apanhe dentro de casa do que depois eu ter que freqüentar delegacia ou IML porque nunca coloquei limites quando ainda podia.

Respeito só se conquista pelo medo. Seja ele de perder vantagens ou medo de sofrer conseqüências.

----------------

Falei de você no blog.

Abraços. o/

L.S. Reis disse...

Caramba, estava conversando com uns colegas sobre isso esses dias! "Achamos que fosse uma prostituta"... Bela justificativa, heim. Quer dizer que as prostitutas podem ser espancadas agora, né... E os caras que espancaram o índio: "Achamos que fosse um mendigo!"
Ai ai...
O pior é que uma das tantas pérolas que os pais soltaram pra tentar livrar a cara dos filhos foi dizer que eles são meninos universitários, de CARÁTER, que não merecem ficar na prisão junto com marginais! dá vontade de rir!
Ótimo texto, Diego. Temos que pensar na solução mesmo...

Cris Penha disse...

É a violência urbana, gratuita que assola nosso país!!

Crueldade!

Laboratório de Geografia

Geografia, informação, arte, cinema e diversão sem contra indicação.

http://laboratoriodegeografia.blogspot.com

Arne Balbinotti disse...

Ainda to tentando digerir o que aconteceu, mas você viu uma reportagem que passou a um tempo atrás (e olha que nao faz muito tempo), só não me lembro o canal nem o programa, foi o caso de uma surda que apanhou na rua por um bando de jovens por que eles foram roubar o dinheiro dela e pegaram a bolsa, o pior é que tinha remédios de uso controlado, nossa foi horrivel ver aquilo, ela tentando se comunicar, mostrando que ela era surda e só queria os remédios, olha vou te dizer uma coisa, eu acho que não sobreviveria muito tempo numa cidade assim, não suporto ver esse tipo de coisa, entao acho que eu iria pra cima com tudo, por isso tambem acredito que me queimaram na santa inquisição... hahaha...
E eu queimaria de novo, e quantas vezes fossem necessárias por uma causa justa.
Abraços e vou-me por que já falei demais.

Deleite Crônico disse...

ótimo texto

Daluska disse...

adorei!
mt bem escritoooo, e realmente td isso anda um absurdo!

parabéns aêh!

Red Letters disse...

Minha família já foi vítima da violência e barbárie que assola o país. De forma trágica perdi uma pessoa muito amada. Sei na pele o quanto isso dói...
Infelizmente, cada dia mais o governo demonstra seu desinteresse pela segurança pública. Estamos entregues ao vento, sem proteção.
Em virtude disso, concordo com aqueles que defendem a dimuição da menoridade penal, restauração do sistema carcerário e penas mais duras para crimes hediondo.
Sonho com uma justiça efetiva!
Mateus 5:6- "Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos".
Parabéns pelo post e pelo blog.
Abraços.

l disse...

Muito bom texto!!!

Acho que essa violência não tem justificativa, pra mim, é falta de Deus mesmo sabe?
mas fico pensando... acho q a família tem parcela de culpa, será que eles receberam um NÃO?
a sociedade tbm tem culpa... promove, vende violência nos filmes, novelas, noticiários, enquanto as câmeras estiverem focadas nesses palhaços eles continuaram agindo assim. Viu o filme "cidade de Deus"? O zé pequeno queria sua foto no jornal... então, qd bandido for tratado como bandido no nosso país a gente terá jovens menos deliquentes.

Jana disse...

Interessante proposta de discussão. O problema, é a realidade.

André Logan disse...

A julgar pelo país em que vivemos, dou no máximo um mês pra esse bando de fdp voltar ao convivio social...

Jeff McFly disse...

Já falei isso lá no blog do arroto, assim como vc deve ter visto. A minha filosofia é:

"Bandido bom, é bandido morto e enterrado em pé, para ocupar pouco espaço no cemitério, ou então dissolvido e ácido sulfúrico, para que seus ossihos sirvam de botão para a camisa."

Mas, enfim... dá uma passada lá no Arroto e dá uma conferina numa "surpresa" para vc.

Hasta, velho!

V1 - ¬_¬ disse...

eu estava querendo escrever sobre isso mais preferi espera por alguem pois tenho andado sem tempo para mexer no blog...
vamos lá foda foi ouvir do pai da quele filho da puta "sei que a mãe dele naum tem nada haver mas..."
falar que eles são crianças que estudão e trabalhão hauhauauha criança so eu que tenho 21 anos de idade sou pobre fudido e naum tenho onde cair morto nem poriso eu meto a mão no canhão e robo os outros ou espanco alguem ....
mesmo que lea foce um protituta idai oq da o direito a eles de esancar ela a galqra do morro deveria fazer plantão na porta da delegacia quando eles forem sair e da um sova macissa neles com madera quadrada e bater neles ate as madra ficarem redondas são tudo um cambada de safados que os pais acobertavão poriso fazião merda pra caralho tomara que eles virem mulherzinha dos outros presos na cadeia, muito bom as porradas que derão no pai de um desse mlks ae assim talvez ele pare de falar merda e se ponha nolugar da empregada domestica que apanho do filho dele...
fico feliz que esteja acontecendo
mais muito triste que tenha sido a pobre da empregada domestica
issoe bom por que, geralmente sempre que acontece esse tipo de coisa os cara são pobres e moram no morro mais agora todos sabem que mal carater existe em qualquer lugar e em qualquer classe social,
seja no morroou no asfalto sempre vai ter ladrões, assassinos, trafincas e covardes ....
mais tb existe muiuta gente boa ....

se v6 kiserem dar uma sova macisa neles quando sairem da cadeia me chamem pois tem um maracanã para ir


um abraço

Tissiane disse...

olá, acabei de conhecer seu blog e achei o máximo! vc tem ótimas opiniões e sabe como passar as suas idéias aos outros.. Esse post sobre os "bandidos", gostei bastante e eu acho q eles devem pagar pelo q fizeram.. abraço e até + !!!

H. Junior disse...

concordo o consumismo é ridículo mesmo

nada a ver dormi na porta da loja...não vai acabar tão cedo o iPhone




respondendo a pergunta do post

não acho q não tem idade

abraço

Arne Balbinotti disse...

Adicionei seu blog nos Clientes da Butique. Pois achei o conteúdo interessante.
Espero que você não se importe.
Abraços.