quinta-feira, 19 de março de 2009

'Scream' by Chris Cornell [2009]


Se versatilidade na música é a alma do atual negócio, com bons frutos saindo de remanescentes como Kings of Leon e Keane, o que diríamos quando o melhor vocalista de rock n’roll vivo anuncia que seu próximo álbum solo será produzido pelo rei da produção de black music? Até então, apenas um insegurança bate, mas a confiança ainda é plena. Um erro.

Scream, terceiro álbum solo de Chris Cornell (ex-Soundgarden e ex-Audioslave) já chega sob o rótulo de pior disco do ano, mesmo sendo lançado em março. O que parece inacreditável perdura por quase em uma hora de um som tosco e que apenas serve para mostrar o quão perdido e egocêntrico está Cornell e o quanto Timbaland é característico e repetitivo.

O primeiro single, Part of Me, possui estranho arranjo com toque indiano e já começa com batidas fortes, lembrando ícones do pop atual como Madonna e Justin Timberlake. Sendo um álbum conceitual – o que é mais doloroso ainda, pois funciona como se fosse uma música só, sendo que nenhuma salva -, a próxima faixa, Time, é um dos momentos de derrota total do álbum, sendo impossível escuta-la até o final. Infelizmente, isso acontece muitas vezes durante o disco, que varia do ruim para o terrível.

Não se sabe mesmo o que aconteceu. O visual, o disco, o clipe, nada salvam nesta nova empreitada de Cornell. Minto: o vocalista ainda continua potente nos microfones, mas nem isso se torna motivo para escutar Scream mais de uma vez (que até possui uma capa boa). Se tínhamos em Euphoria Morning (1999) um alternativo de absoluta qualidade e em Carry On (2007) um experimento cru mas que deu certo, em Scream temos o álbum mais comercial já lançado pelo artista, que assumiu de vez uma veia pop ridícula e que faz vergonha a seus verdadeiros fans e a sua própria carreira.

Ao menos, Chris Cornell possui um histórico brilhante, com muitos discos clássicos e que são provas do quão fabuloso ele é, por isso, apenas nos sobra torcer para que esta seja apenas uma empreitada insignificante e passageira, pois fracassada ela já é.

(.0estrelade5.)

Dica do Post:

Se já possuímos, infelizmente, o pior disco do ano, possivelmente também já temos o melhor: Merriweather Post Pavilion, dos caras do Animal Collective.

Com um disco existencialista e conceitual, a famosa banda de Baltimore cria um disco de vanguarda mas sem ser nostálgico. Inovador mas não único. Com camadas belas e muito bem trabalhadas, com muita psicodelia e barulho, faz com que MPP se torne o absurdo pensante da banda, com toques geniais e que funcionam como uma crônica fíctícia da humanidade. É prazeroso por no repeat e escutar, escutar e escutar….. Ouçam “My Girl”, “Lion in a Coma” e “Brother Spot”, e encontrarão o ponto mais genial do álbum.

(.5estrelasde5.)

2 comentários:

Danilo Moreira disse...

Nossa, qdo vi o algum até fiquei meio assim "caramba, Chris Cornell ta de volta" mas qdo vc citou que ele lembra batidas de Madonna e Justin Timberlake, eu murchei... Madonna eu curto mto, mas ela é POP! E Justin então, também é POP (e na minha opinião, de péssima qualidade)

Bem, paciencia neh, ainda bem que 2009 ainda está começo. Que venham boas novidades...rsrs

Tem postagem nova no Ponto Três. Nova... e picante...rsrsrs

Abçs!!!

http://blogpontotres.blogspot.com/

60 SEGUNDOS disse...

FoxRádio! Acesse e Confira